Do silêncio à vertigem: a escrita autobiográfica de Herzer

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcus Rogério Salgado

Resumo

Publicado em 1982, A queda para o alto é, no âmbito da literatura brasileira, obra pioneira escrita por autor transexual. Nascida Sandra Mara Herzer, passaria a adotar o nome social de Anderson Herzer e foi apenas com o sobrenome que assinou esse volume no qual são reunidos seus escritos, logrando mais de vinte edições desde então. Sua escrita é marcada pela sensação de não-pertencimento e pelas ressonâncias ontológicas de diversos traumas (tanto individuais como sociais). Assim, para Herzer a palavra é uma forma tanto de representar a vertigem espacial dos espaços claustrofóbicos onde a sociedade civil deposita seus dissidentes como de romper o silêncio e o sequestro de voz que a tais subjetividades posicionadas à margem são impingidos.


Palavras-chave: Literatura brasileira contemporânea; escrita autobiográfica; questões de gênero.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SALGADO, Marcus Rogério. Do silêncio à vertigem: a escrita autobiográfica de Herzer. Jangada: crítica, literatura, artes, [S.l.], n. 8, p. 5-25, dez. 2016. ISSN 2317-4722. Disponível em: <http://www.brazilianstudies.com/ojs/index.php/jangada/article/view/117>. Acesso em: 21 out. 2017.
Seção
Artigos

Referências

BIGNOTTO, Newton. “As formas do silêncio”. In: Mutações: o silêncio e a prosa do mundo. Rio de Janeiro: Artepensamento, 2013, pp. 66-68.
DIBIE, Pascoal. “O silêncio dos amantes e, mais particularmente, das mulheres”. In: Mutações: o silêncio e a prosa do mundo. Rio de Janeiro: Artepensamento, 2013, pp. 55-58.
FRANCO JÚNIOR, Arnaldo. “Experiência autoritária e construção da identidade em A queda para o alto, de Herzer”. In: Revista Brasileira de Literatura Comparada. No. 12. Rio de Janeiro, 2008, pp. 239-251.
GOFFMAN, Erwin. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.
GROS, Frédéric. “Fazer calar e fazer dizer o sexo”. In: Mutações: o silêncio e a prosa do mundo. Rio de Janeiro: Artepensamento, 2013, pp. 87-88.
HERZER. A queda para o alto. Petrópolis: Vozes, 1983.
LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio. Campinas: Editora da Unicamp, 2002.
SCHILLER, Friedrich. Poesia ingênua e sentimental. São Paulo: Iluminuras, 1991.
SUZUKI, Marcio. “Apresentação”. In: SCHILLER, F. Poesia ingênua e sentimental. São Paulo: Iluminuras, 1991, pp. 7-40.
TORRÃO FILHO, Amílcar. Tríbades galantes, fanchonos militantes. São Paulo: Summus, 2000.
VALE, Alexandre Fleming Câmara. “O voo da beleza”. In: Revista Opsis. Vol. 7, no. 8. Catalão: Universidade Federal de Goiás, 2007, pp. 54-68.