Literatura e História: As narrativas presentes na historiografia de Goiás

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rogério Max Canedo

Resumo

Propôs-se neste texto a análise da obra Cegou o Governador, de Bernardo Élis, na tentativa de verificar como o referido romance contribuiu para sedimentar na literatura os estigmas de decadência e isolamento que há muito vem sendo afirmados na Historiografia de Goiás, uma vez que o enredo dessa ficção se debruça sobre essa capitania central do país dos primeiros anos do século XIX. Para tanto, foi-nos mister refazer os caminhos outrora percorridos pelos elaboradores da história local, tais como os viajantes e cronistas, verificando como o romancista goiano se apropriou do material elaborado por eles para compor sua obra de ficção. Nesta perspectiva percebe-se que Élis foi, antes de tudo, um pesquisador assíduo das fontes primárias e secundárias que lhes revelaram os costumes de sua região, utilizando em grande medida, via estética, os discursos proferidos pelos percussores da história de Goiás, e que, em suas mãos ganharam aspectos singulares de um perfeito consórcio entre conhecimento histórico e saber artístico.


Palavras-chave: História; Literatura; Romance; Goiás.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CANEDO, Rogério Max. Literatura e História: As narrativas presentes na historiografia de Goiás. Jangada: crítica, literatura, artes, [S.l.], n. 8, p. 172-189, fev. 2017. ISSN 2317-4722. Disponível em: <http://www.brazilianstudies.com/ojs/index.php/jangada/article/view/110>. Acesso em: 21 ago. 2017.
Seção
Artigos

Referências

ALENCASTRE, J.M.P. Anais da Província de Goiás. Brasília: SUDECO, 1979.
BAKHTIN, Mikhail. Epos e Romance: Sobre a metodologia do estudo do romance. In: BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e Estética: A Teoria do Romance. (Trad. De Aurora Fornoni Bernardini et al). 2ª. ed, São Paulo: Hucitec, 1990.
BERTRAN, Paulo. Elegia a Bernardo Élis. DF Letras: A Revista Cultural de Brasília, Brasília, ano IV/V, n. 47, p.20-23, 1998.
BRASIL, Americano do. Súmula da História de Goiás. 3. ed. Goiânia: Unigraf, 1982.
CHAUL, Nasr Nagib Fayad. Caminhos de Goiás: da construção da decadência aos limites da modernidade. Goiânia: Ed. Da UFG, 1997.
D’ALINCOURT, Luiz. Memória sobre a Viagem do Porto de Santos à Cidade de Cuiabá. Belo Horizonte: ed. Itatiaia/São Paulo: EDUSP, 1975.
ÉLIS, Bernardo. Chegou o Governador. 4. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.
____________. Marechal Xavier Curado, criador do Exército Nacional. Goiânia: Ed. Oriente, 1973.
ESTEVES, Antônio Roberto. O Novo Romance Histórico Brasileiro. In: ANTUNES, Letizia Zini. (org) Estudos de Literatura e Lingüística. São Paulo: Arte & Ciência, 1998.
MATTOS, Raymundo José da Cunha. Chorographia Histórica da Província de Goyaz. Goiânia: Líder/SUDECO, 1979.
NUNES, Benedito. A Narrativa Histórica e a Narrativa Ficcional. In: RIEDEL, Dirce Côrtes (org) Narrativa: Ficção e História. Rio de Janeiro: Imago, 1988.
PALACIN, Luiz. Goiás 1722/1822: estrutura e conjuntura numa capitania de minas. 2. ed. Goiânia: Oriente, 1972.
SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem à Província de Goiás. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1975.